[sempre existirá um poeta]

sempre existirá um poeta
em algum lugar do mundo
escrevendo sobre uma pintura
O’hara procurou sardinhas
em Goldberg
Adília falou dos ajuntagentes
de Rubens
Szymborska já pensava no fim do mundo
contemplando Vermeer
William Carlos Williams explicou a versão de Bruegel
para o mito de Ícaro
eu olho aqui em volta
vejo deserto e teatro
poemas da retina.

 

_______________________

esse poema foi escrito para a leitura que fiz no Adelina Instituto, em 2019, como parte do projeto Perímetros com curadoria de Mario Gioia.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s