é pelas bordas que se habita uma concha

não sei se te encontro por terra ou por mar. na dúvida, tento um primeiro mergulho. que a sua espécie é solitária, não me surpreende. fico pensando como sabe quando é a hora de encontrar uma nova casa – começo a mergulhar agora – se te encontrar, queria te falar sobre a minha concha, te ensinar que numa concha os armários e as estantes precisam subir nas paredes. é pelas bordas que se habita uma concha. quando te encontrar, estarei com o café pronto, duas colheres de açúcar pra você.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s