palavras brancas

tento construir com areia
molhada e resistente
um castelo de pedras
bebendo travessia
me alimentando com tâmaras

me cubro com palavras brancas
à espera
do próximo ano
desejos que foram costurados na barra do vestido
e a vontade de voltar a sonhar

sei que me prendi na dor
na dor da sua doença
naquela palavra que não quero usar
porque guardei para o tal livro
então, termino.

agora é um ano que começo
longe do mar
longe de você
presa nas miudezas

a palavra baleia
é cheia, não é?

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s